Congresso de Comunicação Legisaltiva ocorreu abordando tendências de conteúdos e formatos

O III Congresso de Comunicação Legislativa para Câmaras Municipais ocorreu em 25 de março, desta vez em formato online, com participação de mais de 130 jornalistas, profissionais de comunicação, assessores e vereadores interessados neste tema. Afinal, é cada vez mais percebida a comunicação como ferramenta essencial para fazer politica, e também, o poder público ter efetividade em suas ações junto à sociedade.

O mundo como um todo, interligado pelas redes, está cada vez mais unindo o local ao global. É impossível fazer política e gestão pública na sua municipalidade, ignoando o que ocorre nas cidades vizinhas, no país e nas cidades de outras geografias. Simplesmente porque o cidadão sabe e acompanha.

Assim, a comunicação legislativa está desafiada a ser competitiva e moderna, em conteúdos e formatos, atuando em linha com os tempos atuais do digital, e debatendo questões no qual a sociedade possa interagir e estar interessada, Esse é um grande desafio.

Para falar deste desafio compareceram olhares diversos de profissionais atuantes no setor, de dentro do poder público, e do setor privado.

O ex juiz eleitoral José Luiz Blaszak, especialista em direito público e politico, abordou o combate de comunicação nas redes sob o prisma político e a responsabilidade de quem gera o conteúdo para o contraditório, e como isso pode ser usado nos Tribunais.

Já Roberto Lamari, Presidente da APEL, Associação Paulista das Escolas do Legislativo, comentou formas de institucionalizar o que são boas práticas de comunicação de gabinete e da câmara municipal, priorizando a impessoalidade.

A Procuradora de Contas do MP /PA , Silaine Vendramini, procurou aprofundar o conceito de razoabilidade nos contratos, gastos e contratações do setor de comunicação.

Já Carol Góes, gestora da área digital da comunicação do Governo de São Paulo, fez relato das atividades deste poder público como  exemplo de procurar dinamizar uma linguagem e formatos específicos para as redes sociais, o que é um grande desafio.

Já Apolos Paz Neto, jornalista que trabalha em gabinete no Congresso Nacional,  fez exposição sobre rotinas de escolhas e critérios para, na comunicação de um parlamentar, ganhar relevância, reputação e repercussão.

O jornalista Sergio Lerrer, fundador do Pro Legislativo, enfatizou o potencial papel do streaming não manipulado, óu seja, estruturar ambientes do legislativo de forma a permitir transmissões ao vivo sem equipes, gerando mais Lives de cobertura de comissões, debates e outras atividades.

Finalizando o evento,o jornalista João Palomino, ex vice presidente da ESPN,  que já foi repórter de política, e atualmente é  CEO da Live Sports, concedeu depoimento sobre sua visão da evolução do streaming no digital e como, valorizando o local para o global.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *